Mapa do sítio  |  Contactos  
    
Início          Sobre a ANG          Internacional          Desporto          Cultura          Galeria Segunda, 17 de Junho de 2019
Todas as categorias
Justiça
Política
Economia
Saúde
Justiça
Agricultura
Ambiente
Infra-estruturas
Comunicações
Turismo
Cultura
Desporto
Regiões
Lusofonia
Cedeao
Internacional
Arquivo
Cooperação
Ensino
Religião
Anuncios
Tecnologia
Sociedade
Transportes


Forças Armadas/ CEMGFA reafirma determinação dos militares em garantir a paz e tranquilidade

2019-05-30

(ANG) – O Chefe de Estado Maior General das Forças Armadas(CEMGFA), reafirmou hoje a determinação dos militares em garantir a paz e a tranquilidade ao povo guineense.



Biaguê Na Ntan falava à imprensa à saída de uma reunião das chefias das Forças de Defesa e Segurança da Guiné-Bissau cuja única Ordem do Dia, foi : “análise da situação actual da segurança do país”.

“Desde o ano 2014 até a data presente, as Forças Armadas semearam uma planta e que foi regada até o momento. Essa planta não pode ser cortada. Foi com na base nisso que convoquei esta reunião para que possamos manter firmes e sem perturbação, de forma a garantir ao Povo guineense uma paz e tranquilidade nas suas casas, sem ameaças de golpes e outras sublevações”, disse.

Biaguê Na Ntan sublinhou que as Forças Armadas não estão interessadas em actos que vão contra os anseios do Povo guineense, acrescentando que a paz existe no país e deve ser preservada.

“Vamos ajudar a preservar a paz e segurança ao Povo guineense em particular, para que os mais velhos, jovens e crianças possam dormir tranquilamente nas suas casas”, prometeu.

Disse que os militares estão unidos mais do que nunca para não entrar em jogos obscuros e nem se aproximar aos políticos.

“As Forças Armadas devem estar sempre afastados de querelas políticas, de forma a criar as condições para se concentrarem mais na sua formação e capacitação, para melhor contribuir para o desenvolvimento do país”, salientou.

Abordado sobre a posição da classe castrense sobre os últimos acontecimentos políticos no país e que culminou com marchas e protestos para a nomeação do primeiro-ministro eleito nas eleições legislativas de 10 de Março, Biaguê Na Ntan disse que os militares sempre estão firmes nos seus respectivos quartéis.

“Os militares não têm nada que alarmar. Eles estão apenas vigilantes para esperar o que vai chegar aos seus aquartelamentos para tomar a decisão. Portanto, penso que a ordem dada é de tolerância zero à qualquer militar encontrado na rua com armas fora de horas”, disse.

Na Ntan sublinhou que qualquer militar encontrado na rua fora de hora normal com armas na mão, vai ser conduzido à um destino que escusou-se a revelar.

Instado a revelar qual é o referido destino, o Chefe de Estado Maior limitou-se a dizer que todos os militares conhecem esse destino.

Perguntado se as Forças Armadas vão continuar a se submeter ao poder político, o CEMGFA respondeu que sim, a começar por ele próprio, frisando que vão respeitar a Constituição da República e demais Leis.

Questionado se existe algum perigo de insegurança nas Forças Armadas, Biaguê Na Ntan reconheceu que isso é inevitável, acrescentando contudo que os militares existem para garantir a paz, tendo salientado que, se existe algum perigo têm obrigação de investiga-lo para a sua neutralização.

ANG/ÂC//SG


Publicidade




©Agência de Notícias da Guiné
Telefone: 0123-456-789
Email: geral@ang.gw