Mapa do sítio  |  Contactos  
    
Início          Sobre a ANG          Internacional          Desporto          Cultura          Galeria Quarta, 14 de Novembro de 2018
Todas as categorias
Internacional
Política
Economia
Saúde
Justiça
Agricultura
Ambiente
Infra-estruturas
Comunicações
Turismo
Cultura
Desporto
Regiões
Lusofonia
Cedeao
Internacional
Arquivo
Cooperação
Ensino
Religião
Anuncios
Tecnologia
Sociedade
Transportes


Brasil/ Supremo Tribunal Federal suspende processo de impeachment de Dilma

2015-12-09

(ANG)- O processo que poderia levar ao impeachment da presidente Dilma Rousseff está suspenso temporariamente.



O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Luiz Edson Fachin, decidiu, na noite de terça-feira (8), que a comissão que analisará o processo na Câmara dos Deputados não deve ser instalada.

A eleição dos integrantes desta comissão havia sido realizada na tarde de segunda-feira dando plenos poderes a uma chapa formada por opositores do governo.

O ministro do Supremo acatou uma ação do PC do Brasil que solicitava eleição aberta para decidir os integrantes da comissão.

Em sua decisão, o ministro afirma que a votação fechada, como foi realizada por decisão do presidente da casa, deputado Eduardo Cunha, não está prevista nem na Constituição, nem no regimento interno. Mas Luiz Edson Fachin não chegou a anular o resultado da votação.

O processo de impeachment fica suspenso até o próximo dia 16, quando o STF deve julgar, em plenário, as ações de deputados governistas que questionam a abertura desse dispositivo que pode levar ao afastamento da presidente.

A vitória da chapa de oposição, segunda-feira à tarde na Câmara , com 272 votos contra 199, foi marcada por muito tumulto.

Para evitar brigas, alguns deputados seguraram outros pelos braços. Urnas chegaram a ser quebradas por governistas que protestavam contra a decisão de Cunha de realizar a votação de forma secreta.

Integrantes da base aliada estenderam uma faixa que dizia “não vai ter golpe” e “fora Cunha”.

Já oposicionistas levantaram um cartaz com uma caricatura do ex-presidente Lula vestido de presidiário.

A eleição estava marcada para a sessão de segunda-feira (7), mas foi adiada para terça-feira depois que integrantes do PMDB resolveram apresentar uma lista paralela à do líder do partido, Leonardo Picciani (PMDB-RJ), que é contra o impeachment.

A manobra deu certo e o governo saiu derrotado na votação.

O presidente da Câmara informou que as 26 vagas remanescentes para compor a Comissão Especial deverão ser indicadas nesta quinta-feira (9) pelos partidos que ainda faltam para completar o grupo. A chapa 2 tem 39 nomes e a comissão é formada por 65 deputados.

O Conselho de Ética adiou mais uma vez, a votação da continuidade das investigações sobre o presidente Eduardo Cunha. Essa já é a quarta vez que o voto é adiado. A nova sessão está prevista para hoje (9).ANG/RFI


Publicidade




©Agência de Notícias da Guiné
Telefone: 0123-456-789
Email: geral@ang.gw