Mapa do sítio  |  Contactos  
    
Início          Sobre a ANG          Internacional          Desporto          Cultura          Galeria Terça, 26 de Setembro de 2017
Todas as categorias
Saúde
Política
Economia
Saúde
Justiça
Agricultura
Ambiente
Infra-estruturas
Comunicações
Turismo
Cultura
Desporto
Regiões
Lusofonia
Cedeao
Internacional
Arquivo
Cooperação
Ensino
Religião
Anuncios
Tecnologia
Sociedade
Transportes


Saúde Pública/ Suspensa a greve de oito dias iniciada na semana passada

2015-12-10

(ANG) - Os funcionários do sector da Saúde pública suspenderam quarta-feira a greve de oito dias iniciada na semana passada, após um encontro de negociação com o governo.



“Chegamos a conclusão de que não é necessário prosseguir com a greve porque o executivo promete atender todos os pontos do caderno reivindicativo”, informou o porta-voz dos três sindicatos do sector da saúde, nomeadamente (STS), (SNETSA) e (SINQUASS).

Por isso,Garcia Baticã Sampaio exortou à todos os técnicos para retomarem os serviços em todos os hospitais e centros de saúde do país.

A ministra da saúde disse que os três sindicatos estão a reivindicar os seus direitos,mas também o governo deve assumir as suas responsabilidade de acordo com as regras.

Cadi Seidi explicou que após esta discussão os sindicalistas pediram que o ponto número quatro do caderno reivindicativo seja analisado o mais tardar até ao dia 20 deste mês.

O ponto quatro se refere a exigência de pagamento de retroactivos, subsidio de instalação, salários de novos ingresso e vários outros atrasados salariais.

Acrescentou que os sindicatos aceitaram a criação de uma comissão mista que deve incluir elementos dos ministérios das finanças, função publica, da Ordem dos Médicos e UNTG, que irá analisar o primeiro ponto,(aprovação e aplicação da nova proposta salarial, da Carreira Médica, de Enfermagem e Técnicos de diagnósticos Terapêuticos), o segundo (reclassificação dos técnicos promovidos, actualizando os seus salários) e o terceiro ponto(assistência médica e medicamentosa, habitação, transporte e capacitação dos quadros).

Por outro lado, Cadi Seidi informou que os sindicatos solicitaram ao executivo que perdoasse aos que retiraram à força os colegas que estavam de serviço durante a greve, e para que não lhes sejam descontadas as faltas marcadas durante os dias de paralisação. ANG/LPG/SG


Publicidade




©Agência de Notícias da Guiné
Telefone: 0123-456-789
Email: geral@ang.gw