Mapa do sítio  |  Contactos  
    
Início          Sobre a ANG          Internacional          Desporto          Cultura          Galeria Quarta, 14 de Novembro de 2018
Todas as categorias
Internacional
Política
Economia
Saúde
Justiça
Agricultura
Ambiente
Infra-estruturas
Comunicações
Turismo
Cultura
Desporto
Regiões
Lusofonia
Cedeao
Internacional
Arquivo
Cooperação
Ensino
Religião
Anuncios
Tecnologia
Sociedade
Transportes


África/ Continente enfrenta "ameaça tripla" de petróleo

2016-01-11

(ANG) - A Brookings Institution considerou nesta segunda-feira que a África subsariana vai enfrentar este ano uma "tripla ameaça" composta pelo petróleo barato, abrandamento do crescimento económico da China e aumento das taxas de juro nos Estados Unidos.



"O continente enfrenta uma “tripla ameaça” resultante do desafiante ambiente global, nomeadamente, os preços das principais explorações africanas, o petróleo e os minérios, caíram significativamente, a economia do principal parceiro comercial bilateral, a China, está a abrandar, e os custos de financiamento externo estão a subir com o aumento das taxas de juro decretadas pela Reserva Federal norte-americana", diz a Brookings Institution.

De acordo com o relatório “Previsão África - Principais Prioridades para o Continente em 2016”, divulgado por este prestigiado instituto de pesquisa norte-americano, a região subsaariana enfrenta ainda mais uma ameaça proveniente das alterações climatéricas.

"Até podia acrescentar-se uma quarta ameaça - as alterações climatéricas - já que o sul e o leste de África devem sofrer os efeitos brutais do El Niño em 2016", lê-se no relatório coordenado por Amadou Sy, o responsável pelo departamento de estudos africanos no instituto Brookings.

O documento nota ainda que, ao contrário do que aconteceu depois da crise financeira de 2007 e 2008, África não será, desta vez, tão rápida a recuperar, essencialmente porque está mais ligada financeiramente ao que se passa no resto do mundo.

Segundo a fonte, em 2008, o continente, tal como o resto do mundo, sofreu um choque financeiro global, mas foi em parte isolado do efeito em parte graças às ligações financeiras menos pronunciadas com o resto do mundo.

O relatório está dividido em seis capítulos, abordando a gestão dos choques económicos externos, o crescimento interno sustentável, o desenvolvimento humano, a urbanização, a melhoria na governação e a expansão do comércio regional. ANG/Angop


Publicidade




©Agência de Notícias da Guiné
Telefone: 0123-456-789
Email: geral@ang.gw