Mapa do sítio  |  Contactos  
    
Início          Sobre a ANG          Internacional          Desporto          Cultura          Galeria Segunda, 10 de Dezembro de 2018
Todas as categorias
Política
Política
Economia
Saúde
Justiça
Agricultura
Ambiente
Infra-estruturas
Comunicações
Turismo
Cultura
Desporto
Regiões
Lusofonia
Cedeao
Internacional
Arquivo
Cooperação
Ensino
Religião
Anuncios
Tecnologia
Sociedade
Transportes


Cooperação Guiné-Bissau/China/ Novo Palácio de Justiça compöe-se de quatro blocos de quatro pisos cada

2016-01-26

(ANG) – O novo Palácio de Justiça inaugurado hoje em Bissau é composto de quatro blocos e cada um com quatro pisos, disse a ANG, o Director-geral da Habitação e Urbanismo (DGHU).



De acordo com Ildo Baticã Fereira, o Supremo Tribunal de Justiça, os Tribunais de Contas e Administrativo e a Procuradoria Geral da República vao passar a ser albergados no novo Palacio de Justica cujo “edifício central” terà duas salas de julgamento com 105 e 50 lugares.

Conforme o DG de Habitação e Urbanismo, a entidade fiscalizadora desta nova infraestrutura terá um ano de garantia de “boa execução”, por parte da empresa chinesa responsável pela sua construção.

Depois deste período, segundo as suas palavras, o Estado da Guiné-Bissau passará a cuidar definitivamente, da manutenção da “casa sede” da justiça.

Durante a cerimónia da entrega e inauguração desta infraestrutura pública, o Ministro das Obras Públicas Construções e Urbanismo, José António da Cruz Almeida considerou que mesma poderá contribuir para uma justiça mais célere, isenta e eficaz.

O acto da inauguração e entrega desta nova sede do poder judiciário foi presidido pelo Presidente da República José Mário.

Fruto do acordo assinado em Outubro de 2014 entre Bissau e Pequim no valor de 20 milhões de Dólares, o edifício foi construído pela empresa chinesa “Jiangsu Jiangdu Constrution Goup Co Limitada”.

Para além desta “casa sede” do poder judiciário, a República Popular da China foi igualmente quem construiu de raiz, os palácios do governo e do parlamento guineenses e fez a reabilitação do Palácio da República, que ficou parcialmente destruído pelo conflito político-militar de 1998.

Segundo programa de cooperação acordado com o governo, a conclusão da construção do Porto de Pescas, no alto Bandim, em Bissau será das próximas obras de grande envergadura da China no país.

ANG/QC/SG


Publicidade




©Agência de Notícias da Guiné
Telefone: 0123-456-789
Email: geral@ang.gw