Mapa do sítio  |  Contactos  
    
Início          Sobre a ANG          Internacional          Desporto          Cultura          Galeria Quinta, 13 de Dezembro de 2018
Todas as categorias
Política
Política
Economia
Saúde
Justiça
Agricultura
Ambiente
Infra-estruturas
Comunicações
Turismo
Cultura
Desporto
Regiões
Lusofonia
Cedeao
Internacional
Arquivo
Cooperação
Ensino
Religião
Anuncios
Tecnologia
Sociedade
Transportes


Crise política/ Presidente da República reúne partes desavindas para encontrar solução

2016-02-02

(ANG) – O Presidente da República promoveu segunda-feira uma reunião em que participaram todas as partes envolventes na crise política que assola o país .



A saída do encontro com o chefe de Estado, o Presidente do Partido Africano da Independência da Guiné e Cabo Verde (PAIGC) disse à imprensa que defendeu perante o Presidente Mário Vaz que o direito da Assembleia Nacional Popular (ANP) não pode ser subtraído, porque é um órgão da soberania independente.

Domingos Simões Pereira sublinhou que José Mário Vaz enquanto primeiro magistrado da nação deve respeitar os restantes órgãos da soberania.

O líder do PAIGC disse que recebeu o convite do Presidente da República para vir ouvir as suas preocupações de promover o diálogo como forma de solucionar a crise, apesar de terem recebido o convite muito tardio mas o partido predispõe-se a participar dando a sua contribuição para a solução da crise.

O Presidente da Assembleia Nacional Popular, Cipriano Cassamá disse por sua vez que não há problemas entre eles, mais que a lei deve prevalecer e ser respeitada.

Cassamá aconselhou ao José Mário Vaz, que os deputados expulsos do PAIGC e da ANP, devem recorrer as instituições competentes para clarificar as competências da Comissão Permanente da ANP, afirmando que a decisão da mesma é irreversível.

Por sua vez, o Secretário-geral do Partido da Renovação Social Florentino Mendes Pereira disse que seu partido está na Assembleia para defender os direitos dos deputados.

O Presidente da Liga Guineense dos Direitos Humanos (LGDH) louvou essa iniciativa do chefe de Estado de patrocinar o diálogo com diferentes órgãos e actores políticos, afirmando que é um caso inédito.

Augusto Mário da Silva disse que a LGDH está a acompanhar os trabalhos e espera que o bom senso reine entre as partes divergentes, lembrando que os interesses superiores da nação devem estar em primeiro lugar.

O encontro acabou sem uma conclusão e fala-se da sua continuidade ainda esta terça-feira.

ANG/JD/SG


Publicidade




©Agência de Notícias da Guiné
Telefone: 0123-456-789
Email: geral@ang.gw