Mapa do sítio  |  Contactos  
    
Início          Sobre a ANG          Internacional          Desporto          Cultura          Galeria Sexta, 22 de Setembro de 2017
Todas as categorias
Arquivo
Política
Economia
Saúde
Justiça
Agricultura
Ambiente
Infra-estruturas
Comunicações
Turismo
Cultura
Desporto
Regiões
Lusofonia
Cedeao
Internacional
Arquivo
Cooperação
Ensino
Religião
Anuncios
Tecnologia
Sociedade
Transportes


Solidariedade/ “Movimento dos Cidadãos Inconformados” condena assalto à residencia do Secretário de Estados dos Transportes e Comunicaçöes

2016-02-03

(ANG) – O “Movimento dos Cidadãos Conscientes e Inconformados” diz condenar com “veemência o assalto armado , esta semana em Bissau, à residência do Secretário de Estado de Transportes e Comunicações, João Bernardo Vieira, por indivduos não identificados.



Num comunicado produzido depois da reunião da sua direcção, o Movimento considera o “acto de cobarde, indecente e desrespeitador de todos os valores de Estado de Direito Democrático”.

Por isso, esta organização de Sociedade Civil exige ao governo para que assuma as suas responsabilidades de gara garantir a ordem pública e doptar as instituições públicas competentes de meios para investigar e traduzir à justiça os autores morais e materiais “desse acto”.

Para além de solidariza-se com o Secretário de Estado de Transportes e Comunicações, o Movimento dos Cidadãos Inconformados, encoraja João Bernardo Vieira a continuar “firme e determinante” no cumprimento da sua missão enquanto cidadão e membro do governo.

Sobre a actual crise política, o Movimento disse louvar a inciativa do Presidente da República, sobre as negociações entre os actores politicos com vista a alcansar o consenso e que o bom senso reine entre as partes pelo bem do país.

Ainda sobre este assunto, o Movimento de Cidadãos Inconformados diz solidarizar-se com o Juíz que proibiu aos 15 deputados do PAIGC que perderam mandato de inviabilizarem a sessão do parlamento, na qual se procedeu a reapreciaçäo e votaçäo do Programa do Governo.

Esta entidade não governamental nacional encoraja ao magistrado judicial a “não se deixar intimidar pelas ameaças no cumprimento das suas funções”.

Finalmente, exorta ao povo guineense à não temer por qualquer acto de violência, no exercício da cidadania, e a organização promete continuar “atenta e vigilante à qualquer acção de cobardia”.ANG/QC/SG


Publicidade




©Agência de Notícias da Guiné
Telefone: 0123-456-789
Email: geral@ang.gw