Mapa do sítio  |  Contactos  
    
Início          Sobre a ANG          Internacional          Desporto          Cultura          Galeria Sexta, 22 de Setembro de 2017
Todas as categorias
Regiões
Política
Economia
Saúde
Justiça
Agricultura
Ambiente
Infra-estruturas
Comunicações
Turismo
Cultura
Desporto
Regiões
Lusofonia
Cedeao
Internacional
Arquivo
Cooperação
Ensino
Religião
Anuncios
Tecnologia
Sociedade
Transportes


Mutilação Genital Feminina/ Dia internacional assinalado em Gabu

2016-02-05

(ANG) - O Comité Nacional de Abandono das Práticas Nefastas à Saúde da Mulher e Criança (CNAPN), escolheu a região de Gabú, leste do país, para celebrar o Dia Internacional de Tolerância Zero à Mutilação Genital Feminina que anualmente se comemora a 06 de Fevereiro.



Segundo um comunicado daquela organização à que ANG teve acesso, o evento, será marcado com a criação da Rede Nacional das ex-fanatecas e mulheres líderes para o abandono da excisão feminina.

Antes do acto central terá lugar, na povoação de Bidjine, região de Bafata, uma campanha de sensibilização sob o lema “Juntos mobilizemo-nos para contribuir na realização de novos objetivos mundiais, através da eliminação da Mutilação Genital Feminina até o 2030”.

Durante as comemorações, as organizações não-governamentais que compõem o CNAPN, através das suas estruturas regionais, e os líderes religiosos e tradicionais promoverão actividades de informação, sensibilização, animação cultural e recreativa sobre as consequências nefastas desta prática que ocorre um pouco por todo o país.

O comunicado refere que o CNAPN, em colaboração com os parceiros técnicos e financeiros, assinala o dia com a declaração pública das comunidades locais, para o abandono da prática de mutilação genital feminina (MGF/E).

Na Guiné-Bissau, têm sido verificados progressos expressivos nos últimos anos, relativamente a erradicação desta prática secular.

A prática da mutilação genital feminina ainda persiste, apesar da sua proibição pela Assembleia Nacional Popular.

No entanto, segundo o últimos dados do Inquérito sobre Indicadores Múltiplos (MICS, 50 por cento das mulheres com idades compreendidas entre os 15-49 anos ainda sofrem as consequências dessa prática.ANG/FGS/SG


Publicidade




©Agência de Notícias da Guiné
Telefone: 0123-456-789
Email: geral@ang.gw