Mapa do sítio  |  Contactos  
    
Início          Sobre a ANG          Internacional          Desporto          Cultura          Galeria Sexta, 16 de Novembro de 2018
Todas as categorias
Internacional
Política
Economia
Saúde
Justiça
Agricultura
Ambiente
Infra-estruturas
Comunicações
Turismo
Cultura
Desporto
Regiões
Lusofonia
Cedeao
Internacional
Arquivo
Cooperação
Ensino
Religião
Anuncios
Tecnologia
Sociedade
Transportes


África de Sul/ Protestos contra Zuma

2016-02-10

(ANG)- Antes do seu discurso sobre o estado da Nação,o presidente da África do Sul, Jacob Zuma teve que enfrentar nesta terça-feira mais uma vaga de protestos da parte de alguns concidadãos, que exigem o reembolso do dinheiro público investido na sua propriedade de Nkandla, na província do Kwazulu-Natal.



A polémica sobre a restauração da propriedade, na qual teria sido investido 216 milhões de rands sul-africanos de dinheiro público, data de 2013.

Nesta terça-feira , manifestantes próximos nomeadamente de partidos da oposição sul-africana, como a DA( Democratic Alliance) e EFF( Economic Freedom Fighters) do ex-membro do Congresso Nacional Africano, Julius Malema , protestaram diante do Tribunal Constitucional de Johannesburg para exigir que o presidente Jacob Zuma devolva os 24 milhões de dólares investidos na restauração e modernização da sua propriedade particular de Nkandla.

O controverso investimento tornou-se o símbolo de um alegado esquema de corrupção e ganância imputado ao ANC(Congresso Nacional Africano), partido no poder.

Entre as obras efectuadas na residência privada , cujo custo teria atingido o montante de 216 milhões de rands sul-africanos(equivalente em 2014 a 24 milhões de dólares), contam-se designadamente uma piscina descrita como um reforço do dispositivo de segurança, um galinheiro, um curral , um amfiteatro e um centro para o acolhimento de visitantes.

A magistrada Thuli Madonsela, provedor da República, determinou em 2014 que o Presidente Zuma tinha beneficiado indevidamente de obras pagas com dinheiro público e que por isso ele devia reembolsar a soma correspondente.

No decurso dos últimos dias, o chefe de Estado sul-africano afirmou estar pronto para devolver o montante reclamado.

O Congresso Nacional Africano acusa o EFF(Economic Freedom Fighters) e a DA(Aliança Democrática) de politizarem negativamente a questão.

ANG/RFI


Publicidade




©Agência de Notícias da Guiné
Telefone: 0123-456-789
Email: geral@ang.gw