Mapa do sítio  |  Contactos  
    
Início          Sobre a ANG          Internacional          Desporto          Cultura          Galeria Quarta, 19 de Dezembro de 2018
Todas as categorias
Política
Política
Economia
Saúde
Justiça
Agricultura
Ambiente
Infra-estruturas
Comunicações
Turismo
Cultura
Desporto
Regiões
Lusofonia
Cedeao
Internacional
Arquivo
Cooperação
Ensino
Religião
Anuncios
Tecnologia
Sociedade
Transportes


Mediação da CEDEAO/ “Solução para crise tem que ser encontrada pelos guineenses”, diz Olesegun Obasanjo

2016-02-11

(ANG) - O enviado especial da Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental(CEDEAO) para mediação da crise na Guiné-Bissau, o ex. chefe de Estado nigeriano afirmou que a solução para o impasse político vigente no país tem que ser encontrada internamente.



Olesegun Obasanjo, em declaraçoes à imprensa na quarta-feira, à saída de um encontro com o Presidente da República, José Mário Vaz, disse acreditar que se os lideres políticos se juntassem vão encontrar uma saída para a crise.

"Mas será muito difícil encontramos uma solução imediata se os lideres mantiverem suas teimosias e não se unirem para arranjar uma saída", aconselhou.

Obasanjo disse contudo que mantém a convicção de que a saída para a crise deve ser encontrada no seio dos políticos e da população em geral, acrescentando que eles devem mostrar as suas capacidades e disponibilidades de apoiar.

"Portanto, o problema é da Guiné-Bissau. A soluçao tem que ser encontrada na Guiné-Bissau e o resultado final tem que ser da Guiné-Bissau", avisou o ex. Presidente da Nigéria.

Olesegun Obasanjo afirmou que os guineenses devem entender que a própria comunidade internacional pode também atingir um nível de saturação, por isso, exortou aos actores politicos da Guiné-Bissau para que não permitam que a comunidade internacional canse.

O general Obasango deixou Bissau esta madrugada sem poder fazer as partes se aproximarem ao consenso.

Para o secretário executivo da Comunidade dos Países da Língua Portuguesa(CPLP), Murade Murarjy, a saída para a crise deve ser encontrada por via politica.

"A nossa preocupação é da estabilidade do país porque partilhamos a opinião de que o país tem que ser estável para poder desenvolver-se e para tal não pode continuar nessa situação", avisou.

Aquele diplomata sublinhou que a solução para a saída da crise tem que ser encontrada pelos guineenses o que na sua opinião passa pela via politica e não judicial.

O Presidente Mário Vaz leva a cabo reuniões de mediação para a saída da crise fazendo sentar à mesma mesa a representantes da ANP, do PAIGC, PRS e do grupo de 15 deputados que perderam mandatos em consequência de sua expulsão do PAIGC.

Entretanto o PAIGC esta a ser contactado separadamente por não concordar com o formato de reunião conjunta com o grupo dos “15”,promovida pela Presidência da Republica.

ANG/ÂC/SG


Publicidade




©Agência de Notícias da Guiné
Telefone: 0123-456-789
Email: geral@ang.gw