Mapa do sítio  |  Contactos  
    
Início          Sobre a ANG          Internacional          Desporto          Cultura          Galeria Sábado, 21 de Outubro de 2017
Todas as categorias
Cultura
Política
Economia
Saúde
Justiça
Agricultura
Ambiente
Infra-estruturas
Comunicações
Turismo
Cultura
Desporto
Regiões
Lusofonia
Cedeao
Internacional
Arquivo
Cooperação
Ensino
Religião
Anuncios
Tecnologia
Sociedade
Transportes


Literatura/ Miguel de Barros lança primeira obra:”Sociedade Civil e o Estado da Guiné-Bissau”

2016-02-25

(ANG) – O Sociólogo e Investigador guineense, Miguel de Barros classificou esta quarta-feira de estranha a “apatia da sociedade civil “ do país perante a crise politica que alastra há mais de um mês, sem forma veemente.



Miguel de Barros falava no lançamento do seu livro “Sociedade civil e o Estado da Guiné-Bissau, dinâmicas, desafios e perspectivas”.

O investigador no Instituto Nacional de Pesquisas (INEP) formado em Portugal em ciências sociais, disse que a sociedade civil guineense, apesar da sua aparente presença “tem estado arredada do debate na presente crise politica do pais, onde frisa , podia questionar “muita coisa”.

No livro Miguel de Barros considerou que os Djidius(artistas tradicionais), grupos de Mandjuandadis e as "Bancadas"(local de concentração dos jovens) também são organizações da sociedade civil porque é um espaço de afirmação, de revindicação com protesto no espaço público e da condição de pobreza os quais estão expostos.

Salientou ainda que "As bancadas" apesar de serem um espaço micros, têm formas de acção colectiva, organizacional e uma agenda moral.

Barros explicou numa das passagens do livro que só o Decreto Presidencial número 6 que autorizou a criação do Movimento da Sociedade Civil, fez surgir interna e externamente mais de 40 organizações.

Disse que, por um lado, é sinal de fidelidade democrática mas que por outro, interpreta a capacidade transformadora de sair nesse estado de conforto, e que, ao mesmo tempo, essas categorizações privilegiam como principal forma de manifestação, documentos escritos para a comunicação social.

A concluir disse que o campeonato de conferências de imprensa dos partidos políticos , comunicados das organizações da sociedade civil é altamente produtivo e improdutivo porque toda a “nossa” ira fica a volta dele.ANG/JD/SG


Publicidade




©Agência de Notícias da Guiné
Telefone: 0123-456-789
Email: geral@ang.gw