Select Page

Bélgica/Tribunal da UE declara ilegal política de expulsões de França

Bélgica/Tribunal da UE declara ilegal política de expulsões de França

(ANG) –  O Tribunal de Justiça da União Europeia declarou hoje ilegal a política francesa de recusar entrada a cidadãos de Estados fora dos 27 em situação irregular, decisão relativa a um recurso apresentado por várias associações.

“Qualquer nacional de país terceiro em situação irregular deve, como regra geral, ser sujeito a uma ordem de regresso” ao seu país, mas “a pessoa em questão deve ter um certo período de tempo para deixar o país voluntariamente”, afirmou o tribunal.

“A expulsão à força é usada apenas como último recurso”, adiantaram os juízes.

A regra aplica-se mesmo quando os controlos são temporariamente reintroduzidos ao abrigo do Código das Fronteiras Schengen, afirmou o tribunal.

Em Maio passado, cinco organizações não-governamentais (ONG) – Amnistia Internacional França, Anafe, La Cimade, Médicos do Mundo e Médicos sem Fronteiras – acusaram a França de violar os direitos dos migrantes na fronteira franco-espanhola.

De acordo com a Amnistia Internacional França, há vários anos que a França tem vindo a restabelecer controlos nas fronteiras internas – contrariamente ao princípio da livre circulação dentro do Espaço Schengen – para vigiar o movimento de migrantes e deportá-los para países vizinhos, principalmente para Espanha e Itália.

Um relatório elaborado pela ONG mostrou que na fronteira franco-espanhola os controlos tornaram-se mais rigorosos e muitos migrantes foram vítimas de discriminação.

“Na fronteira franco-espanhola, estes controlos afetam pessoas de outras raças de forma discriminatória e levam à deportação de muitas pessoas sem respeito pelos seus direitos fundamentais, em violação da legislação nacional, europeia e internacional”, afirmaram, na altura, as cinco ONG num comunicado conjunto.

“Quando um Estado-membro [da UE] decide reintroduzir temporariamente os controlos das fronteiras internas, pode adoptar uma decisão de recusa de entrada, mas apenas com base no Código das Fronteiras Schengen”, referiu hoje o tribunal. ANG/Angop

About The Author

Leave a reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Publicidade

Videos Recentes

Loading...

Siga-nos

Abril 2024
D S T Q Q S S
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
282930