Select Page

Cooperação/Guiné-Bissau e Moçambique assumem compromisso de relançar  cooperação bilateral

Cooperação/Guiné-Bissau e Moçambique assumem compromisso de relançar  cooperação bilateral

(ANG) – Os chefes de Estado da Guiné-Bissau e de Moçambique assumiram o compromisso de relançar a cooperação bilateral , no âmbito da primeira visita de trabalho à Republica de Moçambique do Presidente  Umaro Sissoco Embaló,iniciada quarta-feira, em resposta ao convite do seu homólogo, Filipe Nyusi.

De acordo com o áudio disponibilizado à imprensa pelo Gabinete de Comunicação e Relações Públicas da Presidência  guineense,a visita tem como objectivo avaliar e fortalecer as relações de amizade, solidariedade e cooperação bilateral existente entre os dois países e povos, e no âmbito multilateral.

O Presidente Umaro Sissoco Embaló revelou que a sua deslocação a Moçambique ainda se realiza em solidariedade com o povo deste país que tem sido alvo de ataques terroristas na Provincia de Cabo Delgado.

Os dois estadistas decidiram  relançaram as relações entre Bissau e Maputo, que ganharam raízes no contexto das lutas de libertações nacionais e depois com os dois estados soberanos.

Umaro Sissoco Embaló defendeu que os dois governos devem começar a promover intercâmbios nos domínios empresarial, cultural, académico e desportivo,  para a concretização dass  intensões dos chefes de Estados dos dois países.

Para o  Presidente da Guiné-Bissau  a concertação diplomática continua a ser um instrumento essencial para a abordagem da conjuntura internacional, que diz ser muito dificil e que interpela à todos.

“Refiro-me aos desafios inadiáveis da preservação da paz e da segurança internacional, desafios que passam pela resolução pacífica dos conflitos”, disse.

Além disso, indicou a luta contra o terrorismo, crime organizado transnacional, problemática ambiental, combate as alterações climáticas  e seu efeitos, erradicação da pobreza nas sociedades como outros desafios, que têm de contar com uma parceria global muito mais eficaz para o desenvolvimento sustentável dos dois países.

Sissoco Embaló condenou  as ações   terroristas que tem estado a provocar vitimas inocentes, distribuição de bens individuais, de patrimónios comunitários, e que perturbam a vida social e económica das comunidades atingidas em Moçambique.

“O objectivo do terrorismo  é de fazer crescer a insegurança e incerteza no futuro do país, desautorizar as instituições do Estado, sabotar o esforço do desenvolvimento económico e social de Moçambique e minar os fundamentos do Estado de direito democrático”,disse Embaló.

Filipe Nyusi considerou de histórico a visita do seu homólogo guineense e diz que tem um significado muito especial, por ser a primeira, e que “certamente contribuirá para uma maior aproximação dos dois povos”.

Nyusi diz ser o  momento valioso para o reforço da cooperação entre Moçambinque e a Guiné-Bissau, ao nivel político, diplomático, económico e socio cutural.

 “As experiências  particulares profícuas entre os fundadores dos movimentos para libertação  nacional, nomeadamente  Eduardo Mondelane e Amilcar Cabral fizeram germinar as sementes da nossa liberdade”,enalteceu.

Nyusi disse que passaram em revista a cooperação bilateral  onde a situação da paz esteve na mesa, acrescentando que  abordaram  o estado atual do combate ao terrorismo, processo de desarmamento, desmobilização e reitengração da força residual da (RENAMO), o processo de fixação de pensões, funcionamento dos órgãos legislativos, executivos e judiciários, desempenho da economia, partilha da  experiência  do processo autárquico.

O chefe de Estado de Moçambique anunciou a criação de uma Comissão Mista entre os dois países, para a partilha de experiências em várias áreas de atividades, sobretudo no domínio da agricultura, mineração e energia.

Afirmou  ser do interesse de Moçambique reforçar a cooperação bilateral, traduzidas em programas mutuamente acordados, no contexto da diplomacia, económica  que o seu país tem estado a desenvolver ao longos dos últimos anos.

O Presidente moçambicano afirmou ser a visita um ponto de partida para uma cooperação mais robusta, focada no desenvolvimento  dos dois países, nas áreas claramente identificadas, nomedamente a consolidação da paz  e da Democracia, capacitação Institucional e reforma dos sector da defesa e segurança.

Enalteceu os esforços levados a cabo pelo seu homólogo guineense com vista a estabilização sócio económico da Guiné-Bissau, pelo que encoraja o diálogo social, e diz que continuará ao lado do povo guineense no apoio ao seu esforço da paz e na reconstrução nacional.

O Presidente Umaro termina visita à Moçambique na sexta-feira. ANG/LPG/ÂC//SG

About The Author

Leave a reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Publicidade

Anúncio – Participe do FGI

Videos Recentes

Loading...

Siga-nos

Julho 2024
D S T Q Q S S
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031