Select Page

Irão/ Autoridades negam envolvimento em ataque que matou três soldados dos EUA

Irão/ Autoridades negam envolvimento em ataque que matou três soldados dos EUA

(ANG) – O Irão negou hoje qualquer envolvimento num ataque lançado por milícias pró-Teerão que vitimou três soldados norte-americanos na fronteira Jordânia-Síria, no sábado à noite, e que levou o Presidente norte-americano a prometer retaliação.

“Estas acusações são feitas com um objetivo político que visa inverter as realidades da região”, disse o porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros iraniano, num comunicado citado pela agência de notícias oficial do Irão, Irna.

As alegações “também demonstram a influência de terceiros, incluindo o regime sionista que mata crianças”, acrescentou Nasser Kanaani, referindo-se a Israel, envolvido numa guerra com o movimento islamita palestiniano Hamas na Faixa de Gaza desde 07 de outubro.

“Os grupos de resistência nesta região estão a responder aos crimes de guerra e ao genocídio cometidos pelo regime sionista”, “não estão a receber ordens” do Irão e “estão a decidir as suas ações com base nos seus próprios princípios”, assegurou ainda o porta-voz.

De acordo com um responsável norte-americano citado pela Associated Press mas que pediu para não ser identificado, além de cinco vítimas mortais, o número de soldados feridos aumentou para 34.

Outros dois funcionários norte-americanos identificaram a base atacada como uma instalação na Jordânia conhecida como Torre 22, localizada ao longo da fronteira com a Síria e utilizada principalmente por tropas envolvidas em aconselhamento e assistência às forças jordanas.

O governo jordano, que não reconhece a existência desta instalação, afirmou que o ataque ocorreu fora da Jordânia, designadamente numa base dos EUA na Síria.

O ministro das Comunicações do Governo do reino, Muhannad Mubaidin, disse à televisão estatal jordana Al Mamlaka que o ataque com um drone visou a base de al-Tanf, no leste da Síria.

O grupo de milícias pró-iranianas Resistência Islâmica no Iraque declarou no domingo que o ataque foi apenas uma “pequena amostra do inferno”.

A milícia al-Nujaba, uma das mais destacadas da Resistência Islâmica no Iraque, congratulou-se com os vários ataques que o grupo lançou nos últimos meses contra posições norte-americanas na Síria e no Iraque.

“Não tenham dúvidas: todos os responsáveis [pelo ataque] irão prestar contas, no momento e da forma que escolhermos”, afirmou no domingo o Presidente norte-americano, Joe Biden, através da rede social X.

O secretário da Defesa norte-americano, Lloyd Austin, assegurou que “serão tomadas todas as medidas necessárias para defender os Estados Unidos, as suas tropas e interesses”.

Os senadores republicanos Lindsey Graham e John Cornyn defenderam no domingo “atacar Teerão”, a capital iraniana, em resposta ao ataque.

Também o candidato à nomeação presidencial republicana, Donald Trump, considerou, na rede social Telegram, o ataque uma “consequência horrível e trágica da fraqueza e rendição de Joe Biden”.

ANG/Inforpress/Lusa

About The Author

Leave a reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Publicidade

Videos Recentes

Loading...

Siga-nos

Fevereiro 2024
D S T Q Q S S
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
2526272829