Select Page

ONU/Guterres pede cessar-fogo imediato em Gaza após mais de 100 dias de guerra

ONU/Guterres pede cessar-fogo imediato em Gaza após mais de 100 dias de guerra

(ANG) – O secretário-geral da ONU, António Guterres, apelou hoje a um “cessar-fogo humanitário imediato” na Faixa de Gaza, após mais de 100 dias de guerra entre Israel e o Hamas.

“Continuamos a apelara um acesso humanitário rápido, seguro, desimpedido, extenso e contínuo dentro e fora de Gaza”, disse à imprensa António Guterres.

De acordo o responsável, não há nada que justifique o “castigo coletivo infligido ao povo palestiniano”.

Mais tarde, o ministro da Defesa israelita, Yoav Gallant, adiantou que fase intensiva do conflito “terminará em breve” no sul do território palestiniano.

“Dissemos claramente que fase intensiva das operações duraria três meses. No sul conseguiremos isso e terminará em breve. Chegará o momento em que entraremos na próxima fase”, declarou o governante.

Uma das quatro divisões israelitas empenhadas em Gaza desde o início da ofensiva terrestre em 27 de outubro retirou-se esta noite, segundo o Exército.

O conflito em curso entre Israel e o Hamas, que desde 2007 governa na Faixa de Gaza, foi desencadeado pelo ataque do movimento islamita em território israelita em 07 de outubro.

Nesse dia, 1.140 pessoas foram mortas, na sua maioria civis mas também perto de 400 militares, segundo os últimos números oficiais israelitas. Cerca de 240 civis e militares foram sequestrados, com Israel a indicar que 127 permanecem na Faixa de Gaza.

Em retaliação, Israel, que prometeu destruir o movimento islamita palestiniano, bombardeia desde 07 de outubro a Faixa de Gaza, onde, segundo o governo local liderado pelo Hamas, já foram mortas mais de 24.000 pessoas – na maioria mulheres, crianças e adolescentes – e feridas mais de 60 mil, também maioritariamente civis.

A ofensiva israelita também tem destruído a maioria das infraestruturas de Gaza e perto de dois milhões de pessoas foram forçadas a abandonar as suas casas, a quase totalidade dos 2,3 milhões de habitantes do enclave, controlado pelo Hamas desde 2007.

A população da Faixa de Gaza também se confronta com uma crise humanitária sem precedentes, devido ao colapso dos hospitais, o surto de epidemias e escassez de água potável, alimentos, medicamentos e eletricidade.

Desde 07 de outubro, pelo menos 350 palestinianos também já foram mortos pelo Exército israelita e por ataques de colonos na Cisjordânia e Jerusalém leste, territórios ocupados pelo Estado judaico, para além de 5.600 detenções e mais de 3.000 feridos. ANG/Inforpress/Lusa

About The Author

Leave a reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Publicidade

Videos Recentes

Loading...

Siga-nos

Fevereiro 2024
D S T Q Q S S
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
2526272829