Select Page

Cuba/Cimeira G77+China quer “nova ordem económica internacional”

Cuba/Cimeira G77+China quer “nova ordem económica internacional”

ANG) – Cerca de 30 chefes de Estado e de governo de países-membros do grupo G77+China iniciam esta, sexta-feira, uma reunião de dois dias, em Cuba, para defender “uma nova ordem económica internacional”.

Entre eles, os presidentes de Angola, de Moçambique, do Brasil, da Argentina e da Colômbia, assim como representantes dos governos da quase totalidade dos Estados-membros da CPLP.,

Cuba assume pela primeira vez a presidência “pro tempore” do grupo e tem insistido na promoção de uma ordem internacional mais justa e na urgência da reforma do sistema financeiro multilateral.

Na quarta-feira, o ministro cubano dos Negócios Estrangeiros, Bruno Rodriguez, adiantou que o projeto de declaração final da cimeira “critica os principais obstáculos no acesso ao desenvolvimento dos países do Sul” e lançou “um apelo para a implementação de uma nova ordem económica internacional”.

O texto pede “uma profunda reforma da arquitetura financeira internacional”, assim como “a eliminação urgente de medidas coercitivas internacionais” e o “tratamento adequado da dívida externa crescente dos países em desenvolvimento”.

A questão da dívida é, assim, uma questão central, da mesma forma que as alterações na governação do Banco Mundial e do Fundo Monetário Internacional. Além disso, estes países exigem o reforço da rede de segurança financeira global e um acesso maior e mais equitativo ao financiamento internacional em tempos de crise, nomeadamente através de emissões regulares de Direitos de Saque Especiais.

A cimeira do G77+China antecede a Assembleia-Geral das Nações Unidas, que vai decorrer na próxima semana, em Nova Iorque.

O secretário-geral da ONU, António Guterres, abre o G77, depois de esta semana ter considerado “muito importante que os países em desenvolvimento lutem para garantir as transformações necessárias nos sistemas internacionais para criar condições de enfrentar os desafios e recuperar o ímpeto do seu desenvolvimento”.

O G77 foi criado em 1964, por 77 países em desenvolvimento, no seio da ONU, dentro do grupo dos países Não-Alinhados. Hoje conta com 134 membros. A China não se considera membro do grupo, mas participa no G77 desde 1992.

ANG/RFI

About The Author

Leave a reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Publicidade

Videos Recentes

Loading...

Siga-nos

Fevereiro 2024
D S T Q Q S S
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
2526272829