Select Page

Angola/Falta de investimento trava desenvolvimento da agricultura em África, segundo UA

Angola/Falta de investimento trava desenvolvimento da agricultura em África, segundo UA

(ANG) – A comissária da União Africana (UA), Josefa Correia Sacko, considerou a falta de investimento adequado por parte dos Estados-membros como o principal fator estrangulador do desenvolvimento da agricultura em África.

A diplomata falava na abertura da  5.ª sessão ordinária do Comité Técnico Especializado (CTE),  sobre agricultura, desenvolvimento rural,  água  ambiente, que  termina esta quinta-feira, na capital etíope, Addis Abeba.

Segundo uma nota de imprensa transmitida à ANGOP, em Luanda, Josefa Sacko reconheceu que,  apesar dos tempos difíceis que afetaram o sector agrícola,  foi  possível alcançar muitos resultados em conjunto no que respeita às recomendações  anteriores.

“ Infelizmente, o principal destaque do relatório é que não estamos nem perto de alcançar os objetivos de Malabo! Esta constatação poderá desiludi-lo e, na verdade, a todos os povos de África.

“A minha percepção pessoal da principal causa do desafio é que poucos Estados Membros afetaram recursos adequados para implementar os seus planos nacionais da  agricultura”, referiu.

Fez saber que fatores externos, como as tendências mundiais, incluindo a COVID-19 e a subida em flecha dos preços dos produtos de base estratégicos, os efeitos das alterações climáticas e a estabilidade política que tem consumido muitas partes do continente, são responsáveis pelo fraco desempenho não só no sector agrícola, mas também noutros sectores económicos e sociais.

“ Conseguimos muito, apesar do que se tornou um desafio perene de falta de pessoal profissional para as diferentes atividades especializadas, especialmente na categoria de pessoal regular, pois,  dependemos  em grande medida de pessoal a curto prazo e destacado, bem como de consultores, graças aos nossos parceiros”, enfatizou.

Perante este cenário desolador, está a decorrer um processo de planeamento pós-Malabo que já começou com  consultas às Comunidades Económicas Regionais (CER) para sua análise, orientação e aprovação.

De acordo com a Comissária da UA, em véspera do fim da   declaração de Malabo, os  Estados-membros estão longe de ter cumprido os sete compromissos  referentes  ao Programa  Abrangente  de Desenvolvimento  da Agricultura em África.

Esta situação provoca uma intervenção robusta sobre o que poderá ser feito  para apoiar os países a manter o rumo do seu desempenho agrícola e criar uma solução baseada em provas, da qual se  vai tirar lições que  vão permitir  construir uma agenda forte pós-Malabo, disse. ANG/Angop  

About The Author

Leave a reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Publicidade

Videos Recentes

Loading...

Siga-nos

Abril 2024
D S T Q Q S S
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
282930