Select Page

Emigração Ilegal/  Grupo de 15 jovens guineenses regressam hoje ao país

Emigração Ilegal/  Grupo de 15 jovens guineenses regressam hoje ao país

(ANG) – Um grupo de 15 jovens guineenses, que se encontrava no Niger, regressou esta sexta-feira ao país, e foram recebidos  no Aeroporto Internacional Osvaldo Vieira pela Secretária de Estado das Comunidades, Mária Luísa Embaló.

Em declarações  à imprensa, após ter recebido o grupo,  a Secretária de Estado das Comunidades qualificou de  tristes as circunstâncias da  morte de um dos elementos do grupo, por alegada falta de assistência médica.

Maria Embaló avançou  que antes de serem reintegrados no seio familiar vão ser submetidos a um conjunto de exames médicos para se saber dos seus estados clínicos.

Segundo a Secretária de Estado das Comunidades, os 15 puderam regressar ao país graças aos mecanismos acionados pelo o Executivo, após ouvir o grito de socorro e o desejo  do grupo de regressar à casa.

“A emigração irregular é muito complicada, por isso encorajo-vos a procurarem  emprego no país ou  elaborarem  projetos e submetê-los ao governo ou aos parceiros de desenvolvimento para obter financiamento”, disse  a Secretaria de Estado das Comunidades.

Quanto aos dois jovens que ficaram no Niger, a Secretaria de Estado disse que o Governo vai trabalhar  para que possam  regressar  ao país caso desejassem, e garante que o Executivo fará  as mesmas diligências para que os mais de 100 guineenses que se encontram na Líbia pudessem igualmente voltar ao país. Um grupo de mais de 30 regressaram recentemente da Líbia.

Em nome do grupo dos que vieram do Níger, Abdu Queita,   disse que alguns foram apanhados  na Argélia e outros  na Tunísia antes de serem agrupados na zona fronteiriça dos dois países numa prisão durante  dois meses e vinte quatro dias.

A partir daí, segundo Queita , tiveram um longo percurso até chegar a Niamey, capital do Niger, passando por dificuldades de vária ordem e momentos assustadores.

“Só quando chegamos a Niamey é que conseguimos  entrar em contacto com o Embaixador  da Guiné-Bissau no Níger para nos ajudar a regressar ao país. Passamos por muitas dificuldades… desde insuficiência da comida à  más condições dos locais onde dormíamos”, disse.

Abdu Queita agradece à todos os que intervieram para que possam regressar ao país, particularmente ao Governo,  embaixador no Níger e aos órgãos  de comunicação social, pela divulgação das suas mensagens.

Instado a confirmar  se sofreram alguma tortura ao longo do percurso ou nas prisões, Abdu Queita disse que não, mas diz que alguns perderam seus  documentos, tais como passaporte e Bilhete de identidade.

Abdu Queita aconselha à todos os jovens guineenses para não aceitarem  optar-se pela emigração ilegal, por ser muito difícil e perigosa .

“Tem riscos de perda de vida e de detenção pelas autoridades estrangeiras de países de trânsito”, disse Queita. ANG/ LPG//SG

About The Author

Leave a reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Publicidade

Videos Recentes

Loading...

Siga-nos

Abril 2024
D S T Q Q S S
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
282930