Select Page

Nigéria/Burkina Faso, Mali e Níger não cumprem requisitos para sair, diz CEDEAO

Nigéria/Burkina Faso, Mali e Níger não cumprem requisitos para sair, diz CEDEAO

(ANG) – A Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental
(CEDEAO) declarou quinta-feira que o pedido do Burkina Faso, Mali e Níger, países liderados
por juntas militares, para abandonarem a organização não cumpre as condições estatutárias
para ser aceite.

“A decisão precipitada não teve em conta as condições para a retirada da adesão, adoptadas
no Tratado Revisto da CEDEAO de 1993″, afirmou o presidente da comissão do bloco regional,
Omar Alieu Touray, no início de uma cimeira ministerial extraordinária da organização, na sua
sede, em Abuja, capital da Nigéria.
“Mas o mais importante é que os três Estados membros não reflectiram verdadeiramente sobre
as implicações desta decisão para os seus cidadãos”, acrescentou, sem entrar em pormenores.
Os três países anunciaram em 28 de Janeiro que desejam sair da CEDEAO com efeitos
imediatos.
O artigo 91.o do Tratado da CEDEAO estipula que os países membros permanecem vinculados
às suas obrigações durante o período de um ano após a notificação da sua retirada.
Yusuf Maitama Tuggar, ministro dos Negócios Estrangeiros da Nigéria – país que detém a
presidência da CEDEAO -, afirmou que a reunião extraordinária era “crucial” para encontrar
soluções para os “desafios” da região e apelou à unidade da organização.
O Níger, o Mali e o Burkina Faso anunciaram a sua saída, argumentando que a organização
está “sob a influência de potências estrangeiras”, traiu os seus “princípios fundadores” e
“tornou-se uma ameaça para os seus Estados membros”.
Os três países alegam “falhas graves” da organização, nomeadamente “sanções” adoptadas
com “uma intenção clara de destruir as economias dos países em transição”, para justificarem a
reivindicação de saída imediata da CEDEAO.
Fundada em Lagos, atual capital económica da Nigéria, em 1975, a organização integra 15
países da África Ocidental – entre os quais os lusófonos Cabo Verde e Guiné-Bissau -, e impôs
sanções e embargos ao Burkina Faso, Mali e Níger para forçar os seus governos a restaurar a
democracia após os golpes que levaram os militares ao poder. ANG/Angop

About The Author

Leave a reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Publicidade

Videos Recentes

Loading...

Siga-nos

Fevereiro 2024
D S T Q Q S S
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
2526272829