Select Page

Greve na CMB/Sindicato de base ameaça bloquear todos serviços da institução na segunda fase da paralização

Greve na CMB/Sindicato de base ameaça bloquear todos serviços da institução na segunda fase da paralização

(ANG) – O porta-voz do Sindicato da Câmara Municipal de Bissau ameaça bloquear  todos os serviços da instituição na segunda fase da greve, prevista para decorrer entre  11 e 15 deste mês, caso as suas exigências não forem atendidas.

Os trabalhos da edil de Bissau observam desde segunda-feira uma greve de cinco dias.

 Em declarações à ANG, Baba Vieira disse que,  em causa está o pagamento de salário, de segurança social e apresentação do dinheiro da quota que os trabalhadores descontam para o fundo do sindicato de base da Câmara Municipal de Bissau.

“Exigimos do patronato o pagamento de três meses de salários aos funcionários ativos, 19 meses de segurança social, e a apresentação  do dinheiro da quota descontado diretamente aos trabalhadores  para o sindicato, há mais de três meses mas que não sabemos do seu paradeiro, entre outros pontos”, informou.

O porta-voz do sindicato disse que estão em greve desde segunda-feira mas que até então  não foram chamados pela direção da Câmara para negociação, apesar de o sindicato  estar aberto para o efeito.

“Se chegarmos à segunda fase de paralização vamos bloquear todos os serviços da Câmara, aliás neste momento não há combrança nos mercados nacionais”,disse Baba Vieira, pedindo a intervenção dos responsáveis para solucionar problemas caso que se aconteça.

Pede  aos vendedores para não pagarem senhas diárias da Câmara, por haver o risco de serem enganados por pessoas que podem se aproveitar da greve.

Instado a confirmar  se não chegarem de sentar-se a mesa com a direção da CMB para se evitar a greve, disse que  teveram um encontro negocial, sob a liderança do ministro da Administração Territorial e Poder Local, mas  que  não foi concluído, devido a queda do Governo determinada pelo  Decreto presidencial ,na segunda-feira.

O Porta-voz do Sindicato de base da CMB critica a atitude da direção de proibir os trabalhadores de fazer pedido de empréstimo de dinheiro até ao ponto de alguns funcionários perderam vida, por falta de condições financeiras para suportar o tratamento médico e medicamentosa.

Disse que a Direção da Câmara  está a contactar pessoas, com subsídio de três mil francos CFA, mas diz que  não tem dinheiro para pagar os atrasados salariais  e nem para ajudar os funcionários doentes.

Perguntado sobre a prestação do serviço mínimo no decurso da greve,  disse que no momento, o serviço minimo não está a ser observado, porque o patronato não solicitou.

A ANG tentou ouvir a reação da Direção da CMB mas  todas as entidades contactadas alegam ser inoportunas falar sobre essa greve.

Em consequência dessa greve os  lixos estão a multiplicar-se  nos mercados e algumas artérias de Bissau.ANG/LPG/ÂC//SG

About The Author

Leave a reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Publicidade

Videos Recentes

Loading...

Siga-nos

Março 2024
D S T Q Q S S
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31