Select Page

“Profissão de mecânica é minha paixão e aprendi vendendo sumo nas oficinas”, diz Nanucha  Na Mone

“Profissão de mecânica é minha paixão e aprendi vendendo sumo nas oficinas”, diz Nanucha  Na Mone

(ANG) – A jovem mecânica na Empresa Sociedade de Transportes da Guiné-Bissau (STGB) disse que a mecânica é a sua paíxão e que sempre gostou da profissão.

Nanucha  Na Mone, de 21 anos de idade, em entrevista exclusiva à ANG, conta que nunca frequentou aulas sobre mecânica e que apreendeu sobre a profissão graças a sua curiosidade.

Disse que,  quando vendia sumo nas oficinas sempre perguntava sobre o trabalho de mecânico, do nome das peças e para que serviam, até que um dia um jovem da empresa onde trabalha agora lhe viu e perguntou porquê é que não vai trabalhar como mecânica, ao em vez de ficar assim, uma vez que conhece toda a peça de carro e consegue discobrir qualquer avaria.

A jovem disse que respondeu  que nunca foi as aulas de mecânica e  que só ficava  a agendar coisas que lhe contavam sobre a profissão e que depois da conversa com o jovem, ele mesmo  a convidou para ir na empresa apreender mais sobre a profissão, e diz que daí começou a trabalhar e a gostar cada vez mais.

Para aquela jovem rapariga, trabalhar de mecânica não tem nada de difícil, sobretudo nos dias de hoje, em que tudo se faz a base das máquínas e sem necessidade de uso de forças para mover algo, porque existe guincho e outras ferramentas.

Apelou todas as mulheres que gostam deste trabalho para se seguirem em frente, porque não tem nada de difícil, referindo que mesmo sendo a única mulher a trabalhar como mecânica com homens na empresa STGB, não sofre de nenhuma forma de discriminação.

“Me sinto bem e muito à vontade, trabalhando como mecânica, porque é um trabalho como outro qualquer”,  disse.

A Nanucha é   orientada por um  mestre mecânico de nome Mamadu Turé vulgo “Djaló” .

Contou a ANG que, sem  vínculo efetivo com a Sociedade de Transporte da Guiné-Bissau (STGB) Nanucha  trabalha  como ajudante na área mecânica, e que esforça no trabalho e está a aprender bem.

“A Direcção da STGB não se responsabiliza pela Nanucha eu é que lhe oferece dinheiro as vezes, porque ela tem as suas necessidades e está a estudar”, disse Djaló.

Mamadu Turé sublinhou que, se no caso ela veio a dicidir concluir os estudos liceais e  ficar na área mecânica , com certeza deverá ser contratada pela direcção da STGB.

Questionado se existe algo entre eles além da relação profissional e de amizade? Respondeu que não, referindo  que as mulheres também têm capacidade de fazer diferentes tipos de trabalho caso queiram fazé-los.  ANG/MI/ ÂC/AALS//SG

About The Author

Leave a reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Publicidade

Videos Recentes

Loading...

Siga-nos

Fevereiro 2024
D S T Q Q S S
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
2526272829