Select Page

“80% dos pontos de água” de Como e Tombali não funcionam

“80% dos pontos de água” de Como e Tombali não funcionam

Bissau, 10 Abr 23 (ANG) – As populações das zonas de Como e Tombali na Guiné-Bissau estão a abandonar as suas casas devido à escassez de água potável.

Segundo a  RFI, a directora-geral dos recursos hídricos da Guiné-Bissau, Fátima Assad Mezé, confirma que no sector de Como “80% dos pontos de água” não funcionam, por falta de “reparações regulares”.

A denúncia é do régulo da região de Tombali, sul da Guiné-Bissau, Malam Sambú, que acrescenta que as pessoas estão a consumir água imprópria e lamenta que essas zonas tenham sido abandonadas e isoladas do resto do país pelas autoridades nacionais.

Dados do MICS 6/2019 (Inquérito aos Indicadores Múltiplos da Guiné-Bissau) estimam que a cobertura actual dos serviços básicos de água a nível nacional é de 67%.

Contactada pela RFI, a directora-geral dos recursos hídricos da Guiné-Bissau, Fátima Assad Mezé, confirma as limitações de abastecimento de água nesta região: “é a zona que tem mais fraca cobertura a nível nacional. Não só pelas limitações financeiras, mas também pelo contexto geológico”.

Nas zonas rurais da Guiné-Bissau, as infra-estruturas mais utilizadas para o abastecimento de água são bombas de motricidade humana. Fátima Assad Mezé avança que no sector de Como “80% dos pontos de água” não funcionam, por falta de “reparações regulares”.

Dizem os últimos relatórios que 26% da população mundial não tem acesso à água potável, ou seja dois mil milhões de habitantes. Cerca de 46% dos habitantes do planeta Terra não possuem serviços de saneamento seguros, o equivalente a 3,6 mil milhões de pessoas.

Em todo o mundo, mais de mil crianças menores de cinco anos morrem todos os dias de doenças relacionadas com problemas de água. Pelo menos 500 milhões de pessoas defecam a céu aberto e milhões de meninas e mulheres caminham horas diariamente para conseguir água potável.

Os números são do último relatório da Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura, Unesco, divulgado em Março na Conferência da ONU sobre Água, em Nova Iorque. 

O mesmo estudo avança, ainda, que até 2050 a falta de água potável deverá atingir até 2,4 mil milhões de pessoas.  

A esse propósito, António Guterres, secretário-geral das Nações Unidas, sublinhou que 75% dos desastres naturais estão relacionados à água, alertando para “consumo vampírico e uso insustentável” deste recurso. ANG/RFI

About The Author

Leave a reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Publicidade

Videos Recentes

Loading...

Siga-nos

Abril 2024
D S T Q Q S S
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
282930