Select Page

Ensino superior /Delegação do Conselho Africano e Malgaxe do Ensino  Superior em visita ao país para  relançamento do setor

Ensino superior /Delegação do Conselho Africano e Malgaxe do Ensino  Superior em visita ao país para  relançamento do setor

(ANG) – Uma delegação do Conselho Africano e Malgaxe do Ensino  Superior (CAMES) encontra-se no país com o intuito de entabular contactos com as autoridades nacionais visando apoiar o relançamento do ensino superior guineense.

Para o efeito, a referida delegação, chefiado pelo Comissário da União Económica e Monetária Oeste Africana, encarregado para o Desenvolvimento Humano, Mamadu Serifo Djaquité está no país, por um período de cinco dias, durante os quais vai entabular  contatos com as autoridades nacionais, nomeadamente o Presidente da República, Primeiro-ministro,  o ministro  da Educação Nacional Ensino Superior e Investigação Cientifica,  das Finanças,  deferentes estabelecimentos do ensino superiores público e privados, instituições de investigação e associação dos estudantes.

Em declarações à imprensa após o encontro com a delegação do CAMES, o ministro da Educação Nacional, Harry Mané disse que a visita serve para ajudar a relançamento do sector do ensino nacional, sobretudo o superior, na harmonização dos currículos escolares nos domínios de Licenciatura. Mestrado, e Doutoramento.

 “CAMES é uma instituição que  congrega 19 países  africanos, incluindo a Guiné-Bissau e que para além de  reforçar a credibilidade dos diplomas das universidades nacionais,  também aumenta a possibilidade de um diplomado numa das universidades guineenses conseguir  emprego nos países que fazem parte dessa organização”, disse Harry Mané.

O Secretário-geral do Conselho Africano e Malgaxe do Ensino Superior Suleymane Konaté agradeceu, em nome da comunidade académica dos 19 países membros da organização, ao Presidente da República por  apoiar a sua candidatura a função que agora ocupa, mas sobretudo pela adesão da Guiné-Bissau a referida instituição desde de 2005.   

“A Guiné-Bissau aderiu a CAMES desde 2005, e isso demonstra a vontade das autoridades de fazer parte do Standard internacional em matéria de qualidade do ensino superior e no reconhecimento dos certificados”, enalteceu o Secretário- geral do Conselho Africano  e Malgaxe do Ensino Superior.

Konaté disse  que  partilharam  com o  ministro Hery Mané  a nova visão da instituição relativamente ao sistema do ensino dos Estados  membros,  em matéria de valorização de  certificados.

Suleymane Konaté informou que em jeito de resposta   receberam orientações e conselhos do Ministros sobre esta nova visão do CAMES.

Disse que a instituição conta de 17 mil professores, em 200 estados membros, disponível para acompanhar e contribuir para  elevar o sistema do ensino superior ao Standard do continente africano e do mundo.

O  CAMES é formado por um conjunto de Estados africanos, tutelado pelos  ministros da Educação dos respetivos países, com objectivo de edificar as pesquisas, consolidação e reforço do ensino superior em África.

Mamadu Serifo Daquité  disse que vieram a Guiné-Bissau porque existem  alguns instrumentos ao nível da UEMOA que precisam de ser implementados, nomeadamente o regulamento para mobilidade dos estudantes nos Estados membros, a harmonização dos exames do 12ª ano de escolaridade, harmonização de confeção dos diplomas no sistema único de Licenciatura, Mestrado e Doutoramento.ANG/LPG/ÂC//SG

About The Author

Leave a reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Publicidade

Anúncio – Participe do FGI

Videos Recentes

Loading...

Siga-nos

Julho 2024
D S T Q Q S S
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031