Select Page

Moçambique/Primeiras-damas debatem igualdade de género no continente

Moçambique/Primeiras-damas debatem igualdade de género no continente

(ANG) – Várias primeiras-damas do continente africano são esperadas sexta-feira, em Maputo, para debater a Igualdade de Género em África.

Vão também debater o acesso a cuidados de saúde, educação das mulheres, foi hoje anunciado, segundo a Lusa.

“Eliminar a disparidade de género em África não é um ato de caridade para as raparigas e mulheres, mas um ato de justiça e de bom senso que beneficiará a todos nós”, afirmou a primeira-dama moçambicana, Isaura Nyusi.

Isaura Nyusi que promove a Conferência Internacional sobre Igualdade de Género em África alusiva ao lançamento da campanha “NósSomosIguais” e réplica do movimento “Desperdício Zero”.

A conferência de sexta-feira conta com a presença confirmada das primeiras-damas do Botswana, Malawi, Nigéria, Quénia e Zimbabwé.

Nyusi defendeu ainda que alcançar a igualdade de género é fundamental para impulsionar o progresso social e económico para todos e construir o mundo que queremos.

Acrescentou que aquela campanha é liderada pela Organização das Primeiras Damas Africanas para o Desenvolvimento (OPDAD) que reúne ainda parceiros e aliados, para promover a igualdade de género “e colmatar a disparidade de género em todo o continente”.

“Salientando uma verdade essencial: nós somos iguais e sempre fomos”, afirmou a primeira-dama moçambicana.

A campanha, a lançar na conferência internacional de Maputo sexta-feira, está assente em quatro pilares: Acesso a cuidados de saúde, a educação, a oportunidades económicas e na liberdade em relação à violência baseada no género.

Isaura Nyusi justificou a escolha do mês de Janeiro para o lançamento desta campanha “unificadora” e réplica do movimento global “Desperdício Zero”, que “visa a adopção de um estilo de vida sustentável”, para “reduzir a pegada ambiental”.

Segundo ela, construir “um futuro mais limpo e verde”, por assinalar-se a 24 deste mês o dia internacional da Educação.

“A educação, além de ser um dos pilares chave, é a ferramenta essencial não somente para a emancipação da mulher em todas as esferas, mas também para a transmissão de conhecimentos e habilidades para o manuseio de resíduos sólidos tanto nas zonas urbanas assim como nas zonas rurais”, afirmou Isaura Nyusi. ANG/Angop

About The Author

Leave a reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Publicidade

Videos Recentes

Loading...

Siga-nos

Fevereiro 2024
D S T Q Q S S
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
2526272829