Select Page

Pescas/Ministro nega desvio de  300 toneladas de pescado para Senegal

Pescas/Ministro nega desvio de  300 toneladas de pescado para Senegal

(ANG) – O ministro das Pescas e Economia Marítima nega que tenha havido desvio de mais de 300 toneladas de peixe para o Senegal, quantificado em mil milhões de fcfa.

Em declarações à imprensa no Centro de Transformação e Conservação do Pescado de Alto Bandim, Dionísio do Reino Pereira disse  que os denunciantes foram ainda mais longe ao acusá-lo de ter adequerido  uma casa no bairro de Antula no valor de 150 milhões de francos CFA bem como a apreensão de 8 camiões carregados de pescado com destino ao Senegal.

“Por isso, entendo que tenho a obrigação de deslocar-se hoje ao Centro de Tratamento e Conservação do Pescado para vir esclarecer a opinião pública do que aconteceu e que foi muito propalado nas redes sociais”, disse o governante.

Pereira disse que, os 300 toneladas de peixe foram recuperados no âmbito de operação de fiscalização levadas a cabo nas águas territoriais do país, frisando que durante a primeira operação apreenderam duas embarcações, que  foram multados num vaolor não revelado.

Adiantou que, na segunda operação, detiveram quatro barcos e cujo processo foi conduzido à Comissão Interministerial constituída pelos ministros das Finanças, da Defesa, do Interior e das Pescas.

Informou que a Comissão analisou os processos enviados pelos técnicos e decidiram aplicar aos armadores do referido navio uma multa de 100 milhões de francos CFA , para além da  confiscação do pescado.

Confirmou  que a empresa pagou a multa aplicada, numa conta bancária, salientando que, inicialmente a empresa declarava que a totalidade do pescado que tinha no bordo era  de 113 toneladas.

“Para termos a certeza da referida quantidade, obrigamos a empresa, a fazer a descarga na presença dos nossos técnicos e no fim constatamos que tinham no bordo 307 toneladas de pescado”, disse.

Dionísio Pereira frisou que os pescados foram armazenados no Centro de Tratamento e Conservação do Pescado de Alto Bandim, acrescentando que, os técnicos avaliaram as suas qualidades  e constataram que existem espécies de sardinelas e outras que não são consumíveis no país.

“Decidimos armazenar os pescados que têm procura no mercado nacional para consumo interno e o resto vendê-los no Senegal”, sublinhou.

O ministro das Pescas afirmou que na altura em que os compradores senegaleses estão a transportar os pescados, na presença dos técncos do Ministério, foram abordados pelas Forças de Guarna Nacional sobre o destino do pescado, com base nas denúncias recebidas da venda ilegal do pescado.

“Os técnicos do Ministério das Pescas foram conduzidos às instalações do Guarda Nacional onde foram interrogados e cujos processos foram transferidos para o Mnistério Público”, disse.

Dionísio Pereira frisou que, o próprio Ministério Público, em colaboração com a Polícia Judiciária, depois de analisar o processo e averiguações feitas, entenderam que não houve nada de ilegal ou atos de corrupção no caso de venda de pescados.

O governante salientou que as ondas de calúnias e difamação contra a sua pessoa  e equipa tem a ver com ação de combate a corrupção que tem estado a levar a cabo naquela instituição.ANG/ÂC//SG

About The Author

Leave a reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Publicidade

Videos Recentes

Loading...

Siga-nos

Fevereiro 2024
D S T Q Q S S
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
2526272829