Select Page

Política/MADEM-G15 anuncia intensão  de pedir a anulação da sessão especial da ANP alusiva as celebrações de 24 de Setembro

Política/MADEM-G15 anuncia intensão  de pedir a anulação da sessão especial da ANP alusiva as celebrações de 24 de Setembro

(ANG) – O Vice-líder da Bancada Parlamentar do Movimento para Alernância Democrática (MADEM G15) anunciou esta, quinta-feira, a intenção de a bancada solicitar a nulidade da sessão especial da ANP realizada no domingo passado em Lugadjol, por ocasião das celebrações dos 50 anos de independência nacional.

José Carlos Macedo falava hoje em conferência de imprensa na qual explicou  os motivos da ausência da Bancada Parlamentar do MADEM G15 nas celebrações dos 50 anos da Independência da Guiné-Bissau, que decorreu no passado dia 24 de Setembro. no sector de Boé.

Sem as identificar, o deputado diz que  houve violação das normas, e acusa  Domingos Simões Pereira,  não só de esbanjamento do dinheiro nas celebrações dos 50 anos da independência, mas também de ser um fator de instabilidade no país.

José Carlos Macedo solicitou ao Ministério Público para chamar o Presidente da ANP para esclarecer as despesas e o valor levantado, (sem mencionar a quantidade), e diz que caso contrário não haverá mais nenhuma sessão parlamentar.

O vice-líder da Bancada Parlamentar do MADEM-G 15 disse que não participaram nas celebrações de 24 de setembro que decorreu em Lugadjol, “por ser um acto meramente de carácter partidário”, sustentando a decisão com alegações de que ao longo do percurso até Tchetche só se vê cartazes do PAIGC.

José Carlos Macedo disse, nessa conferência de imprensa, haver   uma “grave crise”, criada pelo líder da Coligação PAI- Terra Ranka, e diz que o MADEM não queria, mas que infelizmente já não pode evitar essa crise devido ao “comportamento de Domingos Simões Pereira, que  não contribui para o bem do país”.

O deputado do Madem G-15 diz que a crise  foi forçada por Simões Pereira ao ser escoltado com um batalhão, como se fosse o Presidente da República e ainda mais por ter manifestado a intenção de fazer  auscultações populares em todas as regiões.

“O Presidente da República é o único que deve fazer “Presidência Aberta”, mais ninguém”,afirmou.

Acrescentou que essa competência é reservada também aos deputados eleitos nos círculos e as comissões especializadas da ANP para fiscalizar acções do governo por cada área, razão pela qual, condena as declarações do Presidente da ANP, qualificando o anúncio desta intensão como abertura de uma guerra contra o chefe de Estado guineense.

 José Carlos Macedo pede ao Presidente da República para assumir a sua responsabilidade, caso contrário vão sair às ruas para protestar contra o Presidente da República.

Criticou que  o Presidente da ANP não submeteu a plenária a proposta de Ordem do dia e nem o orçamento para as celebrações dos 50 anos da independência.

Disse que, se o Presidente da ANP não se contentar com o anúncio de recandidatura do Presidente da República nas próximas eleições presidenciais e com as declarações de que vai ser  o vencedor das presidenciais,  logo na primeira volta deve convocar a plenária ou conferência dos líderes para analisar as declarações do Chefe de Estado, e se tomar uma decisão,

Disse que as declarações do DSP não vinculam a Bancada parlamentar do MADEM-G15.

Umaro Sissoco Embalo disse que as celebrações, pelo parlamento guineense, dos 50 anos de independência em Lugadjol, Madina Boé não passam de tentativas para enganar o povo.Disse ainda que vai ser candidato as presidencias de 2025 e que ganharia logo na primeira volta.

O Presidente da ANP, promotora da única atividade oficial que assinalou os 50 anosde independência, reagiu quarta-feira,considerando as suas declarações de “desadequadas e inaceitáveis”. ANG/LPG/ÂC//SG

About The Author

Leave a reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Publicidade

Videos Recentes

Loading...

Siga-nos

Maio 2024
D S T Q Q S S
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031