Select Page

78ª Sessão da Assembleia Geral ONU /Presidente da República defende mudanças na segurança internacional e no sistema financeiro mundial

78ª Sessão da Assembleia Geral ONU /Presidente da República defende mudanças na segurança internacional e no sistema financeiro mundial

 (ANG) – O Presidente da República.Umaro Sissoco Embaló defendeu, quinta-feira a introdução de  mudanças necessárias na arquitetura da paz,  segurança internacional e no sistema financeiro mundial,  para que a atual conjuntura internacional tenha resposta adequada.

Discursando na  78ª Sessão da Assembleia Geral das Nações Unidas, que decorreu em Nova Iorque, Sissoco Embalo,disse que a reforma do Conselho de Segurança, de que há muito se considera como necessária, deve tomar em conta a posição da União Africana, para  garantir uma representação realista e mais justa, em adequação com o papel cada vez mais preponderante da África na construção e manutenção do equilíbrio do mundo.

O chefe de Estado guineense indicou o reforço do multilateralismo e da cooperação internacional como a melhor resposta aos desafios com os quais a comunidade internacional está confrontada, alegando ser um instrumento indispensável e um imperativo moral, para, em conjunto, se construir um mundo solidário de paz e bem-estar para todos.

Nesse sentido, congratulou com a escolha e a pertinência do tema da presente Sessão da Assembleia Geral que enaltece a importância da confiança e solidariedade global, prosperidade, progresso e sustentabilidade para todos.

 “Espera-se de todos nós, ações concertadas com vista a concretização das nossas decisões, tais como: a realização dos Objectivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS) e a “Agenda 2063 e garantir o financiamento do desenvolvimento e proteger de maneira coletiva e melhor o nosso planeta”, afirmou Umaro Sissoco Embalo.

O chefe de Estado guineense  disse que é preciso cumprir os acordos de Paris e da COP 27, incluindo o fundo de perdas e danos para países vulneráveis, particularmente os insulares como a Guiné-Bissau.

Reiterou  ter apostado no diálogo, na consolidação da paz, da estabilidade política e no desenvolvimento socioeconómico no país, bem como na sub-região da Africa Ocidental desde de que assumiu o cargo do Chefe de Estado da Guiné-Bissau, em 2020 e durante o seu exercício  como Presidente da Conferência dos Chefes de Estado e de Governo da CEDEAO,função que  diz ter desempenhado com determinação e alto sentido de responsabilidade.

Umaro Sissoco Emabaló manifestou  a sua preocupação perante o ressurgimento de golpes de Estado e o retrocesso da Democracia e do Estado de Direito em alguns países da  sub-região oeste-africana, em flagrante violação da livre escolha das populações, expressas nas urnas.

Por outro lado, o Chefe de Estado da Guiné-Bissau renovou seu  apelo para pôr fim ao que considera   “injusto e irracional” prolongado embargo imposto ao povo de Cuba e aos obstáculos para a realização das legítimas aspirações do povo cubano. Fez o mesmo apelo em relação ao “povo irmão da Venezuela”, ao qual manifestou a sua solidariedade.

Na qualidade de Presidente da Aliança de Líderes Africanos contra a Malária, Sissoco Embaló declarou que a luta contra a malária continua sua prioridade e apela à África em geral e a Comunidade Internacional à ação.

“Se quisermos alcançar as metas globais para 2030, de acabar com as epidemias de malária e alcançar a cobertura universal de saúde, precisamos de agir agora”, disse.

Enalteceu os esforços empreendidos para evitar mais de 1,5 mil milhões de casos de malária, e   ao facto de 10,5 milhões de vidas terem sido  salvas em África, desde 2000.

Quanto a celeberação dos 50 anos de independência no próximo dia 24, o chefe de Estado agradeceu à todos os países que ajudaram a Guiné-Bissau  durante a luta de libertação nacional e às Nações Unidas pela  visita as regiões libertadas, iniciativa que permitiu  conformar  a existência de um controlo político, administrativo e militar efetivo, por parte do PAIGC.

Por esta ocasião solene, disse que o povo guineense, reforça a sua determinação e energia com vista a consolidação da unidade nacional e vai mobilizar-se ainda mais para, como plasmado no hino nacional, “construir na pátria imortal a paz e o progresso”.

Umaro Sissoco Embaló reiterou, em nome do povo guineense, o engajamento e constante disponibilidade de continuar a trabalhar com a ONU e a cooperar com todos os governos e povos amigos da Guiné-Bissau, em prol da paz e do desenvolvimento no mundo, e na proteção do planeta. ANG/LPG//SG

About The Author

Leave a reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Publicidade

Videos Recentes

Loading...

Siga-nos

Abril 2024
D S T Q Q S S
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
282930